quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Brasileiro injetou óleo mineral para ficar “bombado” e agora pede socorro


A busca pela estética perfeita aumenta a cada dia.

A fixação pela perfeição estética é ressaltada e estimulada a todo o lado: comerciais de tv, propagandas em revistas, outdoors, programas, rádio. Estamos em um mundo massacrado pelo excesso na valorização da aparência física.

Felipe, do Rio de Janeiro, mostrou seu drama em reportagem na TV Record. Segundo o programa ele está sofrendo com deformações em seu corpo após injetar óleo mineral em seus músculos.


Inserir este tipo de substância nos músculos, de fato, provoca um aumento no volume, mas é altamente prejudicial, podendo levar o paciente à morte. Nas fotos é possível ver seus braços e peitoral com grande volume, mas por trás da aparência existem dores, má circulação e perda da sensibilidade.

Ele comenta: “É uma coisa tão viciante que as pessoas falavam para parar, mas entrava por um ouvido e saia por outro”.

Ele está desesperado por ajuda após procurar vários hospitais e não encontrar nenhum médico que pudesse ajudá-lo. Segundo os profissionais da área, é muito complexo retirar o óleo de dentro dos músculos, mas um alerta foi emitido: ele pode ter que amputar algumas partes do corpo porque o óleo provoca o apodrecimento muscular.

Segundo o portal R7, a Federação Carioca de Fisiculturismo é altamente contra qualquer aplicação de substância nociva: “O máximo que você consegue aplicando essas substâncias é uma massa disforme que até um leigo olhando nota que tem algo errado ali”, disse o presidente, Jair Frederico.

DO JORNAL CIÊNCIA.COM


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário